17 setembro 2007

O mal físico e a providência divina

Lucas 13.1-5

Os males físicos não têm, necessariamente, a ver com as pessoas que sofrem por causa deles, e nem sempre têm conexão direta com a prática dos males morais. Há muitos incrédulos que duvidam da existência de Deus por causa da presença dos males físicos.

Origem dos males físicos

No Antigo Testamento, a palavra usada para "mal" pode referir-se aos males físicos que se evidenciam em doenças, pestes, calamidades ou destruição de vidas por meio de forças da natureza, como furacão, chuvas ou terremotos. Pode-se dizer ainda que os males físicos sobre toda a criação e sobre os homens procedem da justiça retribuidora de Deus, que se irou contra o pecado de suas criaturas. Em Gênesis 1.31, percebe-se que, no início, tudo era bom; mas por causa da prática de males morais por parte do homem os males físicos vieram a existir como uma imposição penal. Deus amaldiçoou a terra, o homem, a mulher e os animais por causa da transgressão moral de nossos primeiros pais, que eram nossos representantes.

Observando o texto de Lucas 13.1-5, podemos tirar algumas conclusões:

-Jesus ensina nessa passagem que a morte é sempre um castigo merecido. Ninguém é inocente.

-A morte de alguns não significa que eles sejam mais merecedores do que outros. Somente a misericórdia divina é que impede que todos igualmente morram pelos mesmos meios.

-
As imposições penais de Deus servem para nos advertir. Não devemos nos concentrar nos instrumentos que Deus usa para matar os merecedores, mas sim, na advertência que os métodos de Deus devem nos trazer, a fim de que abandonemos os nossos pecados. Os desastres e as calamidades sempre servem de advertência para os pecadores. Quando eles acontecem, todos ficam apavorados e temerosos de que o mesmo possa vir a acontecer com eles.

Abrangência dos males físicos

Os males físicos vieram primeiramente como conseqüência da justiça punitiva, que teve uma expressão parcial (em contraste com o juízo final) e será mantida em toda a criação até que a redenção conquistada por Jesus Cristo se complete no dia final.

Os males físicos abrangem toda a criação. A partir da análise de Gênesis 3.17-18, percebemos que os males físicos vieram ao mundo por causa do pecado de Adão. Como coroa da criação, o homem também foi colocado como cabeça da mesma. Por ter sido considerado por Deus responsável pela criação, o ato do homem refletiu sobre toda ela. Assim, os males físicos abrangem os animais, vegetais e seres humanos.

A pobreza

Muitas pessoas sofrem os males físicos da pobreza por causa da infelicidade que as enfermidades trazem, levando-os a gastar todos os seus recursos em tratamentos.

Pobreza por infortúnio
– A pobreza por infortúnio se mostra nas grandes calamidades, como o excesso de chuva, por exemplo. Os pobres acabam se tornando mais pobres ainda, porque perdem os seus barracos, o pouco que acumularam, e não têm como reaver os seus bens. Finalmente, a pobreza por infortúnio vem quando as pessoas ficam desamparadas pela morte daqueles que as sustentam. Deus tomou providências para minimizar essa pobreza. Ele ditou leis que ajudavam os pobres (Dt 15.11; Dt 24.19-22.) Por isso, o homem jamais deve escarnecer daquele que está passando por uma situação de infortúnio (Pv 17.5).

Pobreza por causa da opressãoEssa é a pobreza mais mencionada e mais fortemente condenada nas Escrituras: a pobreza que é produto da exploração do fraco pelo forte. O texto de Provérbios 13.23 fala da opressão pela qual passam os trabalhadores. A Bíblia condena ainda os latifundiários (Is 5.8) e diz que existe uma cadeia de explorações sem conta (Ec 5.1,2).

Pobreza por causa da preguiça

Pobreza por causa da ignorância espiritual
Os maiores bolsões de pobreza de nosso país estão localizados em regiões onde há maior ignorância espiritual.

Pobreza por causa da imprudência Observar a parábola do filho pródigo (Lc 15.11-16).

Pobreza por causa dos vícios sociais O texto de Provérbios 23.20,21 mostra como o beberrão e o comilão caem na pobreza.

Podemos ainda citar as guerras, as doenças (como resultado das guerras – Lc 21.10,11 – da fome e da ira divina – Jr 21.7-10; Ez 12.16) e a morte como conseqüência do pecado (A análise do Salmo 90.7-11 mostra que os pecados dos homens estão diante de Deus – vv. 8 e 9a. Assim, eles são punidos pela ira divina – v. 7 – mesmo desconhecendo seu poder – v. 11 – e têm a vida abreviada por causa desses pecados – vv. 9b e 10).

Procedência dos males físicos

Causados por seres espirituais
– Veja o exemplo na vida de Jó – as conseqüências dos ataques de Satanás foram a morte (seus animais e filhos), a doença (do próprio Jó), os males sociais (Jó foi rejeitado pela sociedade – 17.6; 19.13-22) e os males espirituais (sua mulher se tornou incrédula e desleal a Deus – 2.9,10). Temos ainda o exemplo da vida de Saul, que está registrado no texto de I Samuel 16.14-16,23. Finalmente, veja o exemplo da vida da mulher possessa descrito em Lucas 13.10-17.

Causados por imputação
– A princípio, veja o exemplo de Acã em Josué 7.13. Temos ainda o exemplo de Amaleque. Por causa do pecado dele, que se opôs a Israel, que descia do Egito, todo o povo amalequita, acabou sofrendo males físicos, que incluíam a morte (I Sm 15.2,3). Vejamos ainda o caso de Davi: toda a sua posteridade sofreu males físicos decorrentes de seu pecado (II Sm 12.10).

Causados pelos próprios pecados
– Temos o exemplo de Miriã e Arão, descrito em Números 12.10-11. Veja ainda o exemplo do homem que estava paralítico havia 38 anos (Jo 5.14).

Causados por maus governantes
– Há vários textos da Bíblia que comprovam isso: Jz 21.25; Pv 28.16; Pv 29.4.

Causados imediatamente por Deus
– Há textos que mostram que os males físicos podem proceder diretamente de Deus, sem que ele use instrumentos ou meios para isso: Jô 5.17,18; Os 6.1; Am 3.6. Deus é o causador de males físicos que têm funções terapêuticas, mas Ele também pode causar doenças com funções punitivas.

Propósitos dos males físicos

Manifestar a glória de Deus – Isso pode ser visto, por exemplo, no texto de João 9.1-3. A enfermidade em si mesma não é uma coisa boa, mas o que Deus faz por meio das enfermidades é. O mesmo propósito pode ser visto no texto de João 11.3, que fala da enfermidade de Lázaro.

Advertir-nos a não praticar males morais – Deus pode usar dores de doenças para nos advertir a não praticar males morais. Elas são uma espécie de despertador divino para nos prevenir e chamar nossa atenção para nosso procedimento (Sl 119.71).

Purificar nossa vida – Jô sofreu muitas dores físicas que estavam ligadas a advertências morais, mas o principal benefício das dores foi a purificação de sua vida espiritual (Jó 23.10). É importante lembrar que a base da nossa purificação vem pelo sangue de Cristo, mas os males físicos são instrumentos de Deus para o nosso aperfeiçoamento.

Exercer a disciplina divina – Os males físicos que vêm ao povo de Deus podem ter uma finalidade terapêutica.

Exercitar nossa paciência – Ver o texto de Romanos 12.12.

Aplicação

APRENDA A VER COMO AS AFLIÇÕES SEMPRE COOPERAM PARA O BEM PESSOAL E DO REINO DE DEUS

- O caso de Manassés – II Cr 33.2-11.

- O caso de Paulo – II Co 12.7-10.

- As aflições são um verdadeiro professor – Sl 119.71.

- As aflições servem para mostrar os problemas espirituais – Jó 36.8-10.

- As aflições são um instrumento para o arrependimento – Sl 107.10-14.

- As aflições nos tornam bem-aventurados – Jó 5.17.

- As aflições nos preparam para a glória – II Co 4.17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário